HOMENAGEM PARA MINHAS MÃES

8 May

Sinto falta, tanta falta das minhas MÃES, digo MÃES porque tenho duas, a que me deu a luz e me criou com todo o amor e sacrifício do mundo,  e a que não me deu a luz, mas nunca me deixou ver a escuridão nessa vida, minha avó materna. Quero ser breve porque o tamanho do meu amor não tem limite, e da minha disponibilidade para escrever também não, então prometi a mim mesma, em função da falta de tempo por causa do trabalho, que será uma breve homenagem.

Hoje pela manhã, como de costume me inspiro olhando a paisagem na janela e tomando minha primeira xícara de espresso. Comecei a pensar na minha linhagem, que família de mulheres fortes,  lembrei das minhas mães e um filme de suas vidas passou na minha mente, minhas lágrimas caíram quando lembrei sobre os sacrifícios que minha mãe fez para criar 2 filhos sozinha. Recordei os inúmeros anos que ela acordava antes das 4 da manhã e saía de casa ainda de madrugada para conquistar o pão nosso de cada dia.

Eu e mamãe

Eu e mamãe

Me lembrei de tantos almoços de Natal que não passamos juntos porque ela precisava trabalhar no comércio. Lembro na véspera do reveillon, ela correndo para não perder o metrô, e ainda dar tempo de abrir a champagne em casa, com a família. Uma vida pautada de forma digna, honesta e cheia de amor. Minha mãe sacrificou-se para nos dar o melhor, e nos deu.

Sobre minha avó faltam palavras, sobram emoções. Nada descreve a relação que tenho com ela, dizem as “más línguas” (rs), que eu sou sua cópia, ela brinca que é porque somos as duas capricornianas. Em uma fase da adolescência e início da idade adulta brigávamos muito, ela queria me controlar e eu sou indomável, queria me moldar às tradições portuguesas, e eu mandava às tradições às favas e tentava me encaixar  na minha própria personalidade, da melhor maneira possível. Éramos 2 carneiros batendo os chifres e disputando quem era o mais forte. Ganhei meu espaço, conquistei meu mundo, e as brigas deram lugar à admiração e respeito.

3 gerações: Bibi Silvinha, eu e filhota Valentina

3 gerações: Bibi Silvinha, eu e filhota Valentina

Minha avó tem toda minha devoção pela mulher inigualável que ela é, não vem ao caso sua vida difícil, suas perdas irreparáveis e os sofrimentos pelos quais ela já passou, entre todos o maior deles, de perder um filho na flor da idade, mas o que enalteço hoje,  além de sua inegável força, é sua forma otimista de ver a vida. Nunca vi minha avó esmorecer, já a vi chorar inúmeras vezes, mas ela seca as lágrimas, com seu lencinho de pano que fica bolso do aventalzinho português, e segue sempre em frente.

Ela é uma das pessoas mais resilientes que já conheci na vida,  uma mulher que nasceu para o trabalho mas que nunca deixou de cuidar, prover e amar sua família. Criou 2 filhos, ajudou a criar 6 netos, e ainda hoje se não estivesse com 90 anos tenho certeza que criaria alguns bisnetinhos também. Elas são meu SOL, minha LUZ, são meus exemplos de vida.  Elas criaram um lar onde me sinto amada, onde a família que construi é acolhida, o lugar de onde sentimos muitas saudades.  São a Vovó e Bibi amadas que não saem das conversas e canções da minha pequena Valentina (quando ela está com saudade da Bibi canta: “lá em cima está o tiro liro liro cá embaixo está o tiro liro ló”).

Essa dupla de MÃES me deu as 4 maiores heranças que se podem deixar para um filho nessa vida: lições de CARÁTER, HONESTIDADE, FORÇA e AMOR. Feliz DIA DAS MÃES nossos amores! Que a vida seja generosa e nos proporcione sempre lindos e felizes reencontros.

Feliz Dia das Mães para todas as mãezinhas nesse mundo que fazem jus à dadiva de receberem esse título!

Silvia

Advertisements

KATE MIDDLETON E SUA SUTIL RESPOSTA AOS INVEJOSOS

4 May

Hoje é feriado aqui na Inglaterra. Estou tomando café, olhando a paisagem na janela, e pensando no nascimento da linda princesinha. Lembro perfeitamente quando o príncipe George nasceu, pouco mais de 1 ano depois do nascimento da minha filhinha, era verão na Europa, Kate Middleton escolheu um vestidinho azul para sair do hospital, quando vi a primeira imagem dela na televisão pensei: que linda, que mãe graciosa, como ela está brilhante.

Mas os tablóides não “pensaram” da mesma forma. Horas depois fico chocada com inúmeras matérias “dissecando” a vida da duquesa de Cambridge, com relatos detalhados de como havia sido sua gravidez e com comentários maldosos sobre tamanho de sua barriga depois de sair do hospital. As perguntas e comentários variavam entre: “Por que ela não escolheu outro modelo de vestido para não marcar a barriga? Por que ela não usou uma cinta para disfarçar? Nossa, depois do parto ainda está com esse barrigão, parecendo uma grávida de 6 meses.”…

Duquesa e Duque de Cambridge com o recém nascido Princípe George

Duquesa e Duque de Cambridge com o recém nascido Princípe George

E o tico e teco dos meus botões só me faziam pensar: Meu Deus, que preço alto essa moça tem que pagar por ser quem é. Depois de passar por um trabalho de parto ainda ter que ir ali acenar para o povo, cumprindo protocolos reais, e enfrentar essa avalanche de maldade mundial, é demais para qualquer ser humano. Quase enfartei quando li uma jornalista dizendo que a princesa era uma formadora de opinião e por isso deveria se preocupar mais com a imagem. Fiquei me perguntando se essa infeliz já teve filho alguma vez na vida ou se ela pelo menos tem conhecimento de como é ter um. GENTE A MULHER ACABOU DE PARIR e vocês querem que ela esteja com o corpo de antes, no dia seguinte ao parto? HELLO PEOPLE, ACORDEM!

Tenho asco de gente invejosa e pavor de jornalismo sensacionalista (embora é o que mais se veja no mundo atual). O dia que eu precisar ganhar meu pão no esquema paparazzi e notinha mal intencionada morrerei de fome.  As redes sociais são facilitadoras para que essas opiniões corram como pólvora, qualquer babaca ganha voz com elas, e desde que o mundo é mundo sempre existiu e existirá o “zé-povinho” louco para falar mal e ver um circo pegar fogo.  Haja paciência e muita terapia para os integrantes da realeza, e para todo o resto dos famosos no mundo inteiro (estou falando de famosos de verdade, não dos BBBs).

Bem e como o mundo é mundo, e o que é notícia num dia no outro cai no esquecimento, a barriga da Kate diminuiu (claro), o lindinho George passou a ser o centro das notícias, e a roda da fortuna continuou a girar. Mas eis que de repente temos outro “royal baby” a caminho. Torci muito e vibrei quando soube que era uma menina, presente dos céus para a família real. Quando vi a primeira imagem de Kate sorri de orelha a orelha: mas que princesa linda, saiu do hospital DIVANDO, num salto 10, dando tchauzinho para o povo, e ainda por cima com um vestidinho largo, porque ela é esperta,  e gato escaldado tem medo de água fria, né? Ela escolheu um modelo que não ressaltasse a barriga para não receber novamente uma avalanche de críticas,  como no nascimento do pequeno George. Do alto de sua elegância, deu sua sutil resposta aos maldosos de plantão.

Kate, William e pequena Charlotte

Kate, William e pequena Charlotte (Foto: new my Royals)

Tudo lindo, maravilhoso,  mas aí ontem antes de dormir deparo com a seguinte notícia: “JORNAIS QUESTIONAM DATA DE PARTO DE RECÉM-NASCIDA DE KATE MIDDLETON. Aparência de duquesa de Cambridge horas depois de dar a luz levanta suspeita sobre o real dia do nascimento da menina.” As notícias são da imprensa russa e o resto do mundo reproduziu. Eles chegam a cogitar a ideia que talvez a Duquesa sequer tenha dado a luz à menina, que podem ter contratado uma barriga de aluguel.

TÔ de novo CHOCADA, é muita teoria da conspiração, nem vou comentar a ideia ridícula que ela não teve a filha, mas lanço a pergunta: Vocês acham mesmo que os príncipes anunciariam uma data errada para o nascimento da menina, armariam uma palhaçada dessas? PRESTEM ATENÇÃO eles são ingleses, inteligentes, cultos, fazem parte da realeza, nasceram literalmente em berço de ouro, esmeraldas e diamantes, vivem uma vida cheia de protocolos, mas justa como a maioria dos europeus.  Vão ficar mentindo para a eternidade a data de nascimento da criança para que? Porque a duquesa queria aparecer esbelta nas fotos? Não faz o estilo deles.  ME POUPEM!

Kate, Wiiliam and little Charlotte (Foto: New my Royals)

Kate, Wiiliam and little Charlotte (Foto: New my Royals)

O que acontece é que o mundo precisa de notícias:  se ela está com barriga grande é uma “desleixada” não se preocupou com a imagem (aff), se está linda de morrer não é possível ter tido filho e estar DIVANDO desse jeito no mesmo dia. Mas a verdade é: SIM, Kate teve a bebê e 10 horas depois estava linda em frente ao hospital, é possível SIM. Kate deu a luz pela manhã em um parto normal e super rápido, saiu no mesmo dia do hospital porque na  Inglaterra e em vários países da Europa, como na Holanda por exemplo, as mulheres que tem filhos de parto normal (a maioria),  se estiverem bem e sem complicações pós-parto, vão para casa no mesmo dia e tem visitas diárias de uma enfermeira para acompanhamento da mãe e do bebê.

Eu tive minha filha de parto normal, foram 9 horas de trabalho de parto até minha Valentina chegar, ela nasceu às 9 da noite e às 5 da manhã (ou seja 8 horas depois) eu estava tomando banho e lavando meu cabelo sozinha, porque eu havia suado muito no parto e me sentia bem o suficiente para não precisar de enfermeira para me ajudar. Quem foi me visitar no dia seguinte não acreditava que eu tinha acabado de ter um filho, dos 8 Kg que eu engordei na gravidez, mais da metade ficaram na maternidade, perdi os demais nos meses seguintes amamentando. No dia seguinte ao nascimento da minha filha jornalistas me ligavam sem saber que eu tinha tido bebê e eu trabalhei e fechei várias matérias pelo telefone como se estivesse no escritório, entre uma mamada e outra.

Garanto que com uma boa maquiagem e uma escova nos cabelos, muitas mulheres que tiveram filho como a princesa, através de um parto normal,  poderiam estar ali no lugar dela. Não todas, mas muitas poderiam SIM. O melhor de tudo foi ver que ela se montou num salto 10, desceu as escadas vagarosamente, apoiada no príncipe,  com a filhinha nos braços, permaneceu menos de 5 minutos dando tchauzinho, DIVOU lindamente para quem quisesse ver, mandou “beijinho no ombro” para as recalcadas e invejosas de plantão, calou a boca do povo maldoso que “esculachou” a pobre coitada no nascimento do primeiro filho, e se recolheu aos seus “aposentos reais”. PONTO!

Não é milagre, cada corpo reage e se recupera de uma forma, não existem regras para o nascimento de um filho,  e o início nunca é fácil para nenhuma mulher, mas o que precisa existir, independente se a mãe teve um parto normal, cesárea, parto natural, na água, de cócoras, seja o que for… é o respeito pelo outro,  e isso infelizmente é o que mais falta no mundo.

PARABÉNS MINHA PRINCESA, SUA BELEZA INTERNA E TUDO O QUE VOCÊ É ME REPRESENTA! 

Vida longa à pequena Charlotte Elizabeth Diana!

Amamos viver na Terra dos Reis!

Silvia

VIAJAR VALE A VIDA

22 Apr

Quem conhece a família Girocoffee sabe que ser “viajante de alma” faz parte do nosso DNA, e nessas idas e vindas, vamos rodando o Globo “devagarzinho”, apreciando paisagens, fazendo pausas para tomar café e ver o pôr do sol, experimentando comidas típicas, visitando novos museus, novas culturas, novas alegrias, novos aprendizados.

Família Girocoffee

Acreditamos que viagem boa é montada em uma tríade: acomodação, passeios e gastronomia. Não gostamos de viagens curtas ou mega corridas, tipo: “percorra 5 países e conheça a Europa em 12 dias”, dessa forma é possível tirar fotos nos pontos turísticos mas não se conhece bem as cidades desse jeito. Respeitamos quem faça viagens assim, excursões, etc… cada um tem suas motivações, suas oportunidades, e viajar é sempre incrível, mas gostamos muito de ter mais tempo para apreciar o lugar.

Gostamos de observar as pessoas na rua, conhecer um pouco do costume local, das comidinhas, modo de viver, ter tempo de experimentar uma bebida em um lugar especial, visitar um parque sem pressa, um ponto turístico sem hora marcada para estar em outro ponto da cidade. Gostamos da liberdade de ir e vir da forma que desejarmos, gostamos de VIVER e de SENTIR aquele lugar.

Paisagens de Madrid

Paisagens de Madrid

Fizemos isso ontem em Madrid, saímos sem destino porque queríamos explorar o centro, e nas nossas andanças encontramos uma lojinha linda de decoração e antiguidades, um restaurante sensacional que nos proporcionou um dos melhores almoços da viagem, a mais linda casa de pães artesanais que já vi na Europa, entramos em uma linda igreja que não estava no roteiro, e tiramos fotos lindas da Valentina.

Lojinha de decoração no centro de Madrid.

Lojinha de decoração no centro de Madrid.

No fim do dia nossa pequena chegou no Hotel e fez sua primeira oração sozinha, sem pedirmos, sem ser estimulada, nada, juntou as mãozinhas e sozinha rezou: “Papai do Céu, muito obrigada pelo dia de hoje….” eu me emocionei, sei que foi a visita na igreja, levei ela no altar, contei a história de Jesus, disse que ele é o filho de Papai do Céu, assim como nós. Ela guardou na memória, lembrou, e na hora de dormir agradeceu Papai do Céu, tudo bem que ela falou obrigada pelo “cake”, pelo chocolate, e várias outras gostosuras que ela comeu nesses últimos dias, mas valeu. Valeu o dia, valeram as experiências, o que vimos e sentimos, valeu por tudo. VIAJAR VALE A VIDA.

Lindo altar

Lindo altar

E assim tem sido nossas viagens nos últimos anos, nossos guias somos nós mesmos, nossa intuição, uma ou outra indicação de amigos, um pouco das experiências divididas na internet, em blogs como o nosso, impessoais, sem intenção de nada, apenas de compartilhar as vivências nas estradas. Confesso que o Santo Protetor dos Bons Viajantes tem nos acompanhado sempre, temos feito boas escolhas de hotéis, roteiros, restaurantes etc… e apesar da falta de tempo, vamos tentar dividir algumas coisas aqui com vocês. Afinal de contas, as dicas de outros viajantes também tem sido valiosas para nós, e o que a gente divide nessa vida, a gente multiplica, isso é o que vale.

Companheira de aventuras

Companheira de aventuras

Olho por esses caminhos que temos percorrido e fico me perguntando sobre o que a Valentina está absorvendo e sente de tudo isso, e desejo que um dia, mais velha, quando alguém lhe perguntar o que os pais dela lhe deixarão como herança ela tenha a resposta na ponta da língua ou dentro do coração: “Meus pais investiram em me proporcionar o conhecimento das estradas da vida, eles me ensinaram a apreciar o que é diferente daquilo que eu conheço, a não ter preconceito, a respeitar o outro, sabendo que nesse mundo, por mais diferentes que sejamos uns dos outros, fisicamente, em nossas culturas, nosso habitat, nossas línguas, no fundo somos todos iguais, somos irmãos.”

Amém!

Que venham as novas aventuras e estradas, e que tenhamos saúde e disposição para percorrê-las .

Hasta Luego Amigo!

Silvia Lourenço

OS CAMPOS DE GIRASSÓIS

17 Apr

O carro corria a bem mais de 100 Km por hora,  estrada boa, vazia, era o sinal verde para o motorista acelerar… uma música calma tocava na rádio espanhola.  Na parte de trás, a menina-moça com pouco mais de 18 anos não conseguia desgrudar o nariz da janela, aqueles lindos campos de girassóis era a imagem mais linda que ela já havia visto na vida.  Andavam, corriam, voavam quilômetros por aquelas estradas,  e nunca se distanciavam das flores, a velocidade do veículo parecia diretamente proporcional a invasão dos pensamentos e os sentimentos que transbordavam naquele coração. O tempo congelou num “frame” de luz, naquela cena de cinema, e nunca mais ela esqueceu daquela imagem.

Lindos Campos de Girassóis

Lindos Campos de Girassóis

Passaram 15 anos, meus olhos já viram muitas e muitas outras paisagens, mas minha alma de menina-moça sempre relembrava  dos CAMPOS DE GIRASSÓIS da Espanha.  Eu e minha mãe estivemos no país em ocasiões e anos diferentes, recentemente perguntei a ela, que também percorreu muitas estradas, o que mais a tinha marcado em seus passeios conhecendo as cidades espanholas, e ela me respondeu sem titubear: “Foram os lindos CAMPOS DE GIRASSÓIS”. Me emocionei! Obrigada Espanha por nos receber tão bem, que Valentina te ame tanto quanto nós!

Silvia

RENOVANDO ENERGIAS

27 Mar

Estivemos no Brasil agora em março, a ideia era reencontrar os amigos, a família e entre outras coisas importantes colocar em ordem as caixas com nossos pertences pessoais que deixamos para trás quando mudamos para Londres. Foi uma viagem muito rápida, cheia de imprevistos e não conseguimos dar conta de arrumar tudo, mas algumas coisas especiais, que eu adorava,  já tomaram um novo destino. Entre elas um acessório “cafeínado” que foi para a casa da minha super amiga Aline.

Moedor de café da família Girocoffee

Moedor de café da família Girocoffee

Confesso que há 1 ano e meio, quando atravessamos oceano,  não foi fácil deixar nosso apartamento inteiro para trás, nem me refiro aos móveis, roupas… mas tem coisas que eu sinto muita falta, como meus livros, nossos acessórios de cafés, que enfeitavam boa parte da nossa cozinha, nossa coleção de bolas de neve e coisas que fomos ganhando e comprando ao longo dos anos e das nossas viagens… mas esse é assunto para outro post e no momento certo vamos falar sobre isso.

O fato é que não temos como trazer as coisas para Londres, tínhamos um tempo determinado pelo governo brasileiro para fazer a mudança e só agora soubemos que o tempo expirou, ou seja, poucas coisas ainda virão nas malas ou em algum pacote especial que vamos despachar, mas a ideia do container no navio com nossos quadros, álbuns, livros etc… não vai mais acontecer. Frustrei, chorei, mas em poucas horas me refiz para começar tudo de novo. O que ficou no Brasil estamos destinando: doamos, vendemos,  emprestamos, ou vamos guardar. E o essencial da vida, que está além dos objetos, paredes e decoração,  eu carrego comigo ao lado ou dentro do coração.

Então, voltando ao assunto das  caixas que consegui abrir e destinar, um moedor de café foi para a casa da minha amiga. Compramos esse acessório em uma viagem de sonhos que fiz com o maridão. Esse moedor, embora estivesse mais para enfeite do que outra coisa, trazia a lembrança de um momento bem especial das nossas vidas. Então rolava um certo amor pelo moedor, sabe.

Voltamos do Brasil a semana passada e a querida Aline me mandou uma mensagem dizendo que já havia usado, que adorou porque ele moeu o café tipo como café da roça, delicioso para tomar  com um pedacinho de bolo, e que ele já estava em um lugar especial junto com outros “amigos”, compondo o cantinho do café que ela montou em casa.

O novo moedor da Aline

O novo moedor da Aline

Fiquei tão feliz, mas tão feliz, porque um objeto, que deveria só ser um objeto, mas que tem uma representatividade emocional para nós, foi parar em um lugar onde as pessoas também são especiais, curtem cafés, e tem uma filosofia de vida parecida com a nossa. E olhem que cantinho mais lindo, com inúmeros tipos de cafeteiras e xícaras que ela montou em casa, muito charmoso.

Detalhes do cantinho do café e "amigos" do moedor

Detalhes do cantinho do café e “amigos” do moedor

O cantinho de café da famíia Almeida

O cantinho de café da família Almeida

Então o desejo é que cada objeto, móvel, roupa, louça, livro, ou qualquer coisa que um dia foi nossa,  e que agora toma novos destinos, tragam para seus novos donos e suas famílias  a mesma alegria que trouxe para a minha. Que as forças e energias que nos circundam possam sempre se renovar, levando e trazendo felicidade.

Desejamos saúde, vontade e forças para sempre recomeçar, além de CAFÉS, muitos CAFÉS, é claro.

Feliz vida nova, para todos nós!

Silvia Lourenço e família Girocoffee

AGORA SIM 2015 CHEGOU

18 Feb

Ando meses atrasada com os posts do blog, mas o bom do amadurecimento é se dar conta que mesmo quando encarnamos o papel de Mulher Maravilha, ainda assim não damos conta de tudo, muitas coisas ficam para trás. A vida anda de ponta cabeça já faz muito tempo, 24 horas são insuficientes para o tanto de coisas que minha alma anseia realizar, mas acredito que se o dia tivesse 48 também não atenderia minhas expectativas. WOW, descobri o problema, quem me enlouquece são minhas expectativas, que desde que me entendo por gente, costumam andar lá pelo céu.

Mulher Maravilha

Mulher Maravilha

O divã ajuda a gente a ir colocando as ideias no lugar… não que seja a cura, embora possa sempre nos levar a ela; sinto que continuo querendo alcançar as estrelas, mas com mais calma, paciência e digamos uma certa sabedoriazinha. Lembro da época que eu sonhava que controlava o fogo, no dia que descobri que não poderia controlar,  minha alma se aquietou, esse foi um dos grandes presentes que minha filha me trouxe, o ensinamento de que não podemos ter o controle de tudo, e quando aceitamos que certas coisas não dependem de nós, tudo flui de maneira mais leve.

2015 chegou, e não existe um ano que se inicie na minha vida sem um caminhão de desafios, não ouso enumerar o que me espera esse ano, canso só de pensar, estamos no 2º mês mas já sei que não darei conta de tudo, algumas coisas ficarão para trás, outras tomarão a frente pelas urgências que se apresentam, mas temos aí uma programação de trabalho árduo, muito sobe e desce em avião, reencontros e despedidas, abraços apertados, CAFÉS e mais CAFÉS.

Voa voa passarinho

Voa voa passarinho

Os anos vão passando,  a vida vai nos presenteando, vamos chegando num ponto que a coisa vai ficando tão simples que assusta, minhas maiores conquistas tem sido contemplar as vistas lindas, o pôr do sol, me deleitar nas cafeterias da vida, procurar o chá da tarde mais gostoso da cidade, deitar no chão com minha Valentina, ouvindo seus risos, suas novas palavrinhas, servindo de cliente no seu restaurante, ela gosta  de servir feijão para a Barbie, para a Elza e para a mamãe.  E assim, vou vendo a vida passar, e congelando na minha alma os flashs desse tempo feliz, sempre na correria, mas sem pressa internamente. Enxergo o mundo com mais poesia, vou me conformando com aquilo que não consigo dar conta, e contemplando os momentos de alegria e de paz.

Vista linda do Tâmisa

Vista linda do Tâmisa

E aqui na humildade do meu coração e no alto da consciência de que sou só mais um grãozinho de areia nessa imensidão do planeta, peço que nesse novo ano tenhamos mais sorrisos que lágrimas, mais alegrias que tristezas e que não nos falte SAÚDE.

BEM VINDO 2015, você demorou mas chegou!

Bons cafés amigos!

Lindo retorno de carnaval e FELIZ ANO NOVO para vocês também!

É CARNAVAL

14 Feb

Trabalhei vários anos no Núcleo de Carnaval da tv, rodei noites no Sambódromo de São Paulo, fechando matérias e links, trabalhando na concentração e na dispersão. Já pulei carnaval e cantei marchinha de rua em bloco carnavalesco do interior; em seus tempos áureos já pulei carnaval nos bailes do Ilha Porchat em Santos.

Já curti carnaval na praia, nas montanhas, no meio do mar; já desfilei na avenida com meu amor; já curti os desfiles no Sambódromo com convite VIP no camarote, comendo, bebendo, tomando sorvete, recebendo massagem nos pés (rs). Conheço de perto a alegria dessa festa, a beleza, a força daquele povo que passa o ano nos barracões das escolas de samba montando carros, costurando fantasias, criando adereços para mais um ano de desfile.

Mas tudo são fases na vida, hoje passamos um sábado de carnaval quietinhos, num dia de frio e de sol,  aqui além-mar. Programamos um delicioso chá da tarde com nossa princesa para comemorar o Valentine’s Day, aproveitando o melhor que essa fase tem nos proporcionado, e claro, programando o  dia que vamos levar nossa boneca ao Sambódromo, para apresentar a ela um pouco da nossa cultura, das nossas raízes, mostrar para a Valentina que nosso povo produz um dos mais bonitos espetáculos culturais da Terra.

Um beijo CARNAVAL BRASILEIRO, tenho saudades de você!

Aproveitem!

Silvia

Carnaval

Carnaval