Archive | May, 2015

HOMENAGEM PARA MINHAS MÃES

8 May

Sinto falta, tanta falta das minhas MÃES, digo MÃES porque tenho duas, a que me deu a luz e me criou com todo o amor e sacrifício do mundo,  e a que não me deu a luz, mas nunca me deixou ver a escuridão nessa vida, minha avó materna. Quero ser breve porque o tamanho do meu amor não tem limite, e da minha disponibilidade para escrever também não, então prometi a mim mesma, em função da falta de tempo por causa do trabalho, que será uma breve homenagem.

Hoje pela manhã, como de costume me inspiro olhando a paisagem na janela e tomando minha primeira xícara de espresso. Comecei a pensar na minha linhagem, que família de mulheres fortes,  lembrei das minhas mães e um filme de suas vidas passou na minha mente, minhas lágrimas caíram quando lembrei sobre os sacrifícios que minha mãe fez para criar 2 filhos sozinha. Recordei os inúmeros anos que ela acordava antes das 4 da manhã e saía de casa ainda de madrugada para conquistar o pão nosso de cada dia.

Eu e mamãe

Eu e mamãe

Me lembrei de tantos almoços de Natal que não passamos juntos porque ela precisava trabalhar no comércio. Lembro na véspera do reveillon, ela correndo para não perder o metrô, e ainda dar tempo de abrir a champagne em casa, com a família. Uma vida pautada de forma digna, honesta e cheia de amor. Minha mãe sacrificou-se para nos dar o melhor, e nos deu.

Sobre minha avó faltam palavras, sobram emoções. Nada descreve a relação que tenho com ela, dizem as “más línguas” (rs), que eu sou sua cópia, ela brinca que é porque somos as duas capricornianas. Em uma fase da adolescência e início da idade adulta brigávamos muito, ela queria me controlar e eu sou indomável, queria me moldar às tradições portuguesas, e eu mandava às tradições às favas e tentava me encaixar  na minha própria personalidade, da melhor maneira possível. Éramos 2 carneiros batendo os chifres e disputando quem era o mais forte. Ganhei meu espaço, conquistei meu mundo, e as brigas deram lugar à admiração e respeito.

3 gerações: Bibi Silvinha, eu e filhota Valentina

3 gerações: Bibi Silvinha, eu e filhota Valentina

Minha avó tem toda minha devoção pela mulher inigualável que ela é, não vem ao caso sua vida difícil, suas perdas irreparáveis e os sofrimentos pelos quais ela já passou, entre todos o maior deles, de perder um filho na flor da idade, mas o que enalteço hoje,  além de sua inegável força, é sua forma otimista de ver a vida. Nunca vi minha avó esmorecer, já a vi chorar inúmeras vezes, mas ela seca as lágrimas, com seu lencinho de pano que fica bolso do aventalzinho português, e segue sempre em frente.

Ela é uma das pessoas mais resilientes que já conheci na vida,  uma mulher que nasceu para o trabalho mas que nunca deixou de cuidar, prover e amar sua família. Criou 2 filhos, ajudou a criar 6 netos, e ainda hoje se não estivesse com 90 anos tenho certeza que criaria alguns bisnetinhos também. Elas são meu SOL, minha LUZ, são meus exemplos de vida.  Elas criaram um lar onde me sinto amada, onde a família que construi é acolhida, o lugar de onde sentimos muitas saudades.  São a Vovó e Bibi amadas que não saem das conversas e canções da minha pequena Valentina (quando ela está com saudade da Bibi canta: “lá em cima está o tiro liro liro cá embaixo está o tiro liro ló”).

Essa dupla de MÃES me deu as 4 maiores heranças que se podem deixar para um filho nessa vida: lições de CARÁTER, HONESTIDADE, FORÇA e AMOR. Feliz DIA DAS MÃES nossos amores! Que a vida seja generosa e nos proporcione sempre lindos e felizes reencontros.

Feliz Dia das Mães para todas as mãezinhas nesse mundo que fazem jus à dadiva de receberem esse título!

Silvia

Advertisements

KATE MIDDLETON E SUA SUTIL RESPOSTA AOS INVEJOSOS

4 May

Hoje é feriado aqui na Inglaterra. Estou tomando café, olhando a paisagem na janela, e pensando no nascimento da linda princesinha. Lembro perfeitamente quando o príncipe George nasceu, pouco mais de 1 ano depois do nascimento da minha filhinha, era verão na Europa, Kate Middleton escolheu um vestidinho azul para sair do hospital, quando vi a primeira imagem dela na televisão pensei: que linda, que mãe graciosa, como ela está brilhante.

Mas os tablóides não “pensaram” da mesma forma. Horas depois fico chocada com inúmeras matérias “dissecando” a vida da duquesa de Cambridge, com relatos detalhados de como havia sido sua gravidez e com comentários maldosos sobre tamanho de sua barriga depois de sair do hospital. As perguntas e comentários variavam entre: “Por que ela não escolheu outro modelo de vestido para não marcar a barriga? Por que ela não usou uma cinta para disfarçar? Nossa, depois do parto ainda está com esse barrigão, parecendo uma grávida de 6 meses.”…

Duquesa e Duque de Cambridge com o recém nascido Princípe George

Duquesa e Duque de Cambridge com o recém nascido Princípe George

E o tico e teco dos meus botões só me faziam pensar: Meu Deus, que preço alto essa moça tem que pagar por ser quem é. Depois de passar por um trabalho de parto ainda ter que ir ali acenar para o povo, cumprindo protocolos reais, e enfrentar essa avalanche de maldade mundial, é demais para qualquer ser humano. Quase enfartei quando li uma jornalista dizendo que a princesa era uma formadora de opinião e por isso deveria se preocupar mais com a imagem. Fiquei me perguntando se essa infeliz já teve filho alguma vez na vida ou se ela pelo menos tem conhecimento de como é ter um. GENTE A MULHER ACABOU DE PARIR e vocês querem que ela esteja com o corpo de antes, no dia seguinte ao parto? HELLO PEOPLE, ACORDEM!

Tenho asco de gente invejosa e pavor de jornalismo sensacionalista (embora é o que mais se veja no mundo atual). O dia que eu precisar ganhar meu pão no esquema paparazzi e notinha mal intencionada morrerei de fome.  As redes sociais são facilitadoras para que essas opiniões corram como pólvora, qualquer babaca ganha voz com elas, e desde que o mundo é mundo sempre existiu e existirá o “zé-povinho” louco para falar mal e ver um circo pegar fogo.  Haja paciência e muita terapia para os integrantes da realeza, e para todo o resto dos famosos no mundo inteiro (estou falando de famosos de verdade, não dos BBBs).

Bem e como o mundo é mundo, e o que é notícia num dia no outro cai no esquecimento, a barriga da Kate diminuiu (claro), o lindinho George passou a ser o centro das notícias, e a roda da fortuna continuou a girar. Mas eis que de repente temos outro “royal baby” a caminho. Torci muito e vibrei quando soube que era uma menina, presente dos céus para a família real. Quando vi a primeira imagem de Kate sorri de orelha a orelha: mas que princesa linda, saiu do hospital DIVANDO, num salto 10, dando tchauzinho para o povo, e ainda por cima com um vestidinho largo, porque ela é esperta,  e gato escaldado tem medo de água fria, né? Ela escolheu um modelo que não ressaltasse a barriga para não receber novamente uma avalanche de críticas,  como no nascimento do pequeno George. Do alto de sua elegância, deu sua sutil resposta aos maldosos de plantão.

Kate, William e pequena Charlotte

Kate, William e pequena Charlotte (Foto: new my Royals)

Tudo lindo, maravilhoso,  mas aí ontem antes de dormir deparo com a seguinte notícia: “JORNAIS QUESTIONAM DATA DE PARTO DE RECÉM-NASCIDA DE KATE MIDDLETON. Aparência de duquesa de Cambridge horas depois de dar a luz levanta suspeita sobre o real dia do nascimento da menina.” As notícias são da imprensa russa e o resto do mundo reproduziu. Eles chegam a cogitar a ideia que talvez a Duquesa sequer tenha dado a luz à menina, que podem ter contratado uma barriga de aluguel.

TÔ de novo CHOCADA, é muita teoria da conspiração, nem vou comentar a ideia ridícula que ela não teve a filha, mas lanço a pergunta: Vocês acham mesmo que os príncipes anunciariam uma data errada para o nascimento da menina, armariam uma palhaçada dessas? PRESTEM ATENÇÃO eles são ingleses, inteligentes, cultos, fazem parte da realeza, nasceram literalmente em berço de ouro, esmeraldas e diamantes, vivem uma vida cheia de protocolos, mas justa como a maioria dos europeus.  Vão ficar mentindo para a eternidade a data de nascimento da criança para que? Porque a duquesa queria aparecer esbelta nas fotos? Não faz o estilo deles.  ME POUPEM!

Kate, Wiiliam and little Charlotte (Foto: New my Royals)

Kate, Wiiliam and little Charlotte (Foto: New my Royals)

O que acontece é que o mundo precisa de notícias:  se ela está com barriga grande é uma “desleixada” não se preocupou com a imagem (aff), se está linda de morrer não é possível ter tido filho e estar DIVANDO desse jeito no mesmo dia. Mas a verdade é: SIM, Kate teve a bebê e 10 horas depois estava linda em frente ao hospital, é possível SIM. Kate deu a luz pela manhã em um parto normal e super rápido, saiu no mesmo dia do hospital porque na  Inglaterra e em vários países da Europa, como na Holanda por exemplo, as mulheres que tem filhos de parto normal (a maioria),  se estiverem bem e sem complicações pós-parto, vão para casa no mesmo dia e tem visitas diárias de uma enfermeira para acompanhamento da mãe e do bebê.

Eu tive minha filha de parto normal, foram 9 horas de trabalho de parto até minha Valentina chegar, ela nasceu às 9 da noite e às 5 da manhã (ou seja 8 horas depois) eu estava tomando banho e lavando meu cabelo sozinha, porque eu havia suado muito no parto e me sentia bem o suficiente para não precisar de enfermeira para me ajudar. Quem foi me visitar no dia seguinte não acreditava que eu tinha acabado de ter um filho, dos 8 Kg que eu engordei na gravidez, mais da metade ficaram na maternidade, perdi os demais nos meses seguintes amamentando. No dia seguinte ao nascimento da minha filha jornalistas me ligavam sem saber que eu tinha tido bebê e eu trabalhei e fechei várias matérias pelo telefone como se estivesse no escritório, entre uma mamada e outra.

Garanto que com uma boa maquiagem e uma escova nos cabelos, muitas mulheres que tiveram filho como a princesa, através de um parto normal,  poderiam estar ali no lugar dela. Não todas, mas muitas poderiam SIM. O melhor de tudo foi ver que ela se montou num salto 10, desceu as escadas vagarosamente, apoiada no príncipe,  com a filhinha nos braços, permaneceu menos de 5 minutos dando tchauzinho, DIVOU lindamente para quem quisesse ver, mandou “beijinho no ombro” para as recalcadas e invejosas de plantão, calou a boca do povo maldoso que “esculachou” a pobre coitada no nascimento do primeiro filho, e se recolheu aos seus “aposentos reais”. PONTO!

Não é milagre, cada corpo reage e se recupera de uma forma, não existem regras para o nascimento de um filho,  e o início nunca é fácil para nenhuma mulher, mas o que precisa existir, independente se a mãe teve um parto normal, cesárea, parto natural, na água, de cócoras, seja o que for… é o respeito pelo outro,  e isso infelizmente é o que mais falta no mundo.

PARABÉNS MINHA PRINCESA, SUA BELEZA INTERNA E TUDO O QUE VOCÊ É ME REPRESENTA! 

Vida longa à pequena Charlotte Elizabeth Diana!

Amamos viver na Terra dos Reis!

Silvia