Archive | June, 2014

LIÇÕES DE VIDA DA PEPPA PIG

29 Jun

Qual a mamãe ou o papai de crianças entre 0 e 5 anos, talvez um pouco mais, que não conhece a Peppa Pig? Quase impossível. A porquinha rosa mais amada da Inglaterra desembarcou no Brasil há pouco mais de 1 ano mas já é  sucesso absoluto entre os pequenos brasileirinhos e suas famílias. O desenho Peppa Pig foi criado em 2004 na Inglaterra e atualmente é exibido em 180 países. Recebeu diversos prêmios da indústria da animação, entre eles o BAFTA em 2005 e 2012, e o The British Animation Awards, em 2006.

Peppa, mamãe e papai Pig e Geoge

Peppa, mamãe e papai Pig e George

A Peppa é uma pequena porquinha que vive com seus pais e seu irmão mais novo, George, que adora dinossauros; além do núcleo familiar os porquinhos também convivem com o vovô e a vovó Pig, o amiguinho Danny Dog e uma série de personagens do mundo animal como coelhinhos, ovelhas, cães, gatos, zebras e muitos outros.
Quando conheci o desenho ele acabava de chegar ao Brasil, Valentina ainda não tinha 1 ano e  deixávamos ela assistir televisão só por um curto período da tarde, testamos alguns canais e programas para ver o que ela mais gostava e não teve jeito,  a porquinha foi a eleita.
Núcleo Peppa Pig e seus amigos

Núcleo Peppa Pig e seus amigos

Nós adoramos o desenho porque ele é educativo e transmite mensagens positivas através das questões do cotidiano e da convivência da família. Em alguns episódios  Peppa cuida do irmão mais novo demonstrando  a importância de se desenvolver responsabilidades desde cedo nunca deixando de se divertir, afinal eles são crianças. Em cada episódio são apresentados problemas simples  mas que através da busca das soluções enaltecem a importância da família unida.
As interações entre os personagens são positivas, eles são modelos de bom comportamento, demonstram e expressam seus sentimentos com verdade, ajudam uns aos outros num sistema de cooperação familiar e ao mesmo tempo divertem-se até com as dificuldades.
Peppa e amigos jogando

Peppa e amigos

A semana passada assisti  com minha filhota um episódio onde o carro do Papai Pig quebrou e enquanto o mecânico consertava  emprestou outro veículo para a família. Quando voltavam para casa o Papai acionou um botão que abria a capota e depois não conseguia mais fechar, começou a chover,  Papai Pig apertava todos os botões, dos faróis, do retrovisor, do alarme, de tudo, todo mundo molhado e nada de conseguir fechar a capota do carro. Peppa, George e mamãe Pig tentavam ajudar,  até que o último botão acionado deu certo. Depois da confusão a família da Peppa morreu de rir de todo mundo molhado…
Família passeando de carro

Família passeando de carro

É só um desenho,  mas acreditem, refleti sobre várias questões naquele dia, me coloquei na situação e pensei o quanto ficaria nervosa com meu marido se ele abrisse a capota do carro e nos molhássemos com a chuva, perguntaria por que ele não leu o manual do carro, por que não perguntou ao mêcanico como funcionava…provavelmente não resolveríamos a questão com a calma da família Peppa.
Talvez porque não somos porquinhos integrantes de uma família linda e simpática dentro de um desenho animado, somos humanos, mas sempre é possível apreender,  tentar relaxar e resolver os problemas com mais tranquilidade, afinal se não temos grandes  intempéries na vida, as pequenas questões do dia a dia podem ser solucionadas com calma, amor, e até nos fazer rir, é isso que nos ensina a porquinha.
Minha princesinha vestida de Peppa

Minha princesinha vestida de Peppa

Peppa Pig e sua família são lindos, seus exemplos são lições de autoestima, reforçam a importância de sempre ajudar as pessoas e ensinam  aos nossos filhos o valor da família e das verdadeiras amizades. É claro que não devemos esperar que um desenho animado “eduque” nossos filhos, mas disponibilizar um conteúdo afinado com nossas ideias, com as premissas da nossa casa e com nossos exemplos de vida sem dúvida é bem legal.
Ponto para os ingleses,  que no meio de uma programação infantil tão ruim ao redor do mundo, se destacaram criando essa preciosidade.
Ah, e a família Girocoffee visitou o Parque da Peppa Pig na Inglaterra e vai trazer para vocês TODAS as dicas e novidades desse lugar maravilhoso para levar as crianças.
Aguardem!
Um beijo com todo nosso carinho e ÓINK ÓINK para todos vocês, é assim que a família Peppa faz.
Silvia Lourenço

 

 

Advertisements

Café e Chantilly – o original

28 Jun

O Castelo de Chantilly  fica numa cidadezinha ao Norte da França, que leva o mesmo nome do Palácio,  é considerado o ponto turístico mais importante da região e um dos castelos mais bonitos do país. Para quem já conhece  bem Paris e quer se aventurar pelas imediações,  Chantilly é visita quase obrigatória, já que fica a 25 minutos de carro da capital.

Além de sua beleza externa e interna, ele possui um acervo extraordinário de móveis, obras, livros e documentos. A coleção de pinturas do Chatêau – chamada de Museu Condé – o faz ser considerado o segundo museu francês de pinturas antigas,  atrás apenas do Louvre, além disso sua biblioteca conta com mais de 12 mil obras e documentos, colecionados durante séculos pelos nobres de Chantilly. 

Castelo de Chantilly (Imagem: Duga)

Castelo de Chantilly (Imagem: Duga)

Há alguns anos o Palácio ficou muito famoso no Brasil porque foi lá que o ex-jogador de futebol Ronaldinho e a apresentadora Cicarelli se casaram. Nosso amigo Julio, que mal se despediu da gente em Londres, já desembarcou para uma semaninha de trabalho em Chantilly (super chato o cenário né) e mandou para o Girocoffee fotos MARAVILHOSAS dos seus “humildes” cafézinhos no chatêau.

Segundo nosso amigo,  em todos os restaurantes do Castelo é possível degustar sobremesas e cafés especiais, sempre acompanhados do chantilly oficial. E eu que não sou boba nem nada, fiquei  morrendo de vontade de conhecer essa maravilha,  para “respirar, inspirar, introspectar” toda essa cultura,  e claro, degustar cafézinhos e comer o FAMOSO CHANTILLY de CHANTILLY, onde ele foi criado.

Sobremesa deslumbrante, café e CHANTILLY.

Sobremesa deslumbrante, café e CHANTILLY. Foto Julio Bertolini 

 

Detalhes da sobremesa do Castelo de Chantilly

Detalhes da sobremesa do Castelo de Chantilly. Foto: Julio Bertolini

Contam os  historiadores que  o DIVINO chantilly foi desenvolvido pelo chef François Vatel que criou um creme batido doce e perfumado para impressionar a corte francesa em um banquete. Vatel tem uma das histórias mais pitorescas da gastronomia mundial, ele era de uma família humilde e com 15 anos começou  aprender o ofício de confeiteiro.

Chegou à corte com 22 anos, admitido como auxiliar do cozinheiro de Nicolas Fouquet, superintendente do tesouro da França.  Com seu jeito talentoso, organizado e ambicioso Vatel tomou o lugar do chef de cozinha do Palácio e contam que seu maior objetivo era provar ao Rei Luís XIV, o Rei Sol,  que ele era o maior chef real da França.

Retrato de Vatel e seu filho

Retrato de Vatel e seu filho

Numa das primeiras tentativas, em 1661, Vatel criou o creme (que mais tarde se chamaria chantilly) para impressionar a corte em um banquete, mas o rei nem notou o quitute. O banquete também não trouxe sorte a Fouquet que foi preso logo depois sob a acusação de conspirar contra o governo.

Antes que a ira real também recaísse sobre Vatel (que foi levado para corte para servir Fouquet),  o cozinheiro se exilou na Inglaterra. Voltou para a França dois anos depois e foi trabalhar para o príncipe de Condé, no castelo de Chantilly. Lá, sim, seu creme doce caiu no gosto da realeza e ele batizou a iguaria com o nome do lugar.

Chantilly

As coisas correram bem para Vatel até o ano de 1671. Condé convidou o rei Luís XIV para um fim de semana de caçadas no castelo. O cozinheiro teve duas semanas para preparar a recepção.  No dia da chegada do rei, apareceram mais convidados que o esperado e Vatel notou que não teriam assados suficientes para todos.

Deu tudo certo naquele banquete mas estressado pelo erro de cálculo, Vatel passou a noite em claro esperando os peixes para o dia seguinte, que seria a Sexta-Feira Santa.  Ao perceber que a encomenda não seria suficiente pela quantidade que ele precisava, Vatel suicidou-se com um punhal.

Ilustração da morte de Vatel e seu retrato

Ilustração da morte de Vatel e seu retrato

A tragédia do chef de cozinha que morreu por falta de peixes rendeu um filme (Vatel – Um Banquete para o Rei)  em que Gérard Depardieu interpreta uma versão romanceada do cozinheiro. Outras versões da história não atribuem a criação do Chantilly a Vatel, e sim a confeiteiros italianos que  já batiam cremes e juntavam açúcar e aromas.

Eu prefiro a versão de Chantilly, assim temos uma desculpinha ótima para correr até a França. E você não vai querer se lambuzar  também? 

Imagem (Imagem: Theredlist)

Imagem Gérard Depardieu em “Vatel: Um banquete para o Rei” (Imagem: Theredlist)

Abraços “chantilizados” para todos e até a próxima!

Silvia

Fontes: Domaine de Chantilly, Revista Super Interessante, Wickipédia.